sábado, abril 30, 2016

Lobo da Estepe



A rua de paralepipedos molhados pela chuva reflete a luz do luminoso. 
As letras ao contrário revelam que haverá um espetáculo. 
Será no Teatro Mágico. O convite é só para os raros e só para os loucos...
Mas... quem será louco suficente para enxergar dentro de si mesmo?
E um Lobo segue solitário pelo meio da rua...


Alvaro 14/11/2004
Poema inspirado no livro Lobo da Estepe, de Herman Hesse 
e na Música Sound of Silence de Simon e Garfunkel 
imagem: rua de Lisboa, capturada na Web,sem indicação de autoria e alterada no Paint.net



Postar um comentário